Escolhendo um rádio transmissor

O rádio transmissor é o dispositivo que usamos para controlar qualquer aeromodelo. Quando falamos em mini-drones, temos algumas características especiais que temos que observar, que normalmente não são as mesmas que observamos para outros tipos de aeromodelos.

Vou falar um pouco sobre o que deve ser observado na hora de escolher um rádio, e ao final recomendar alguns modelos.

Quantidade de canais

Para voar mini-drones, o mínimo necessário são 5 canais, sendo 4 para os controles de voo (Aileron, Profundor, Leme e Acelerador), e um canal para armar ou desarmar o drone.

Observação: É possível voar com apenas 4 canais, mas tratando-se dos minis, essa prática é fortemente desencorajada, pois o comando de armar e desarmar será uma combinação de movimentos nas alavancas de controle, e este tipo de comando é lento e sujeito a falhas.

Apesar do mínimo ser 5 canais, raramente são usados mais do que 6 canais. Mini-drones são aeromodelos com pilotagem muito simplificada, e raramente possuem diversos modos de voo ou ajustes que precisam ser comandados durante o voo, logo, a quantidade de canais necessários para comandar esses ajustes é pequena. Normalmente o sexto canal é utilizado para intercalar entre o modo ACRO, ANGLE e HORIZON. Mas mesmo isso é opcional, muita gente nem mesmo usa modos e voa sempre em ACRO.

Alcance e confiabilidade do sinal

Um grande alcance, na casa de alguns quilômetros, não é uma característica tão importante quando falamos nos drones racer. Isso porque normalmente o voo é em locais próximos, raramente ultrapassando a casa dos 500 metros de distância. Porém, ter folga é sempre bom caso você queira ir um pouco mais longe.

Todo fabricante fornece a informação do alcance do rádio, então é importante observar isso.

Além do alcance, outra característica que é bom observar é o protocolo de transmissão. Os fabricantes possuem diferentes formas de lidar com interferências de rádio, e isso se traduz em confiabilidade. É sempre bom entender a forma como cada um funciona para decidir o que vai funcionar melhor para você.

Tamanho dos receptores

Nos mini drones temos pouco espaço para acomodar componentes. É importante observar se os receptores disponíveis para o modelo de rádio que você pretende comprar para saber se vão caber no seu drone. Lembre-se, você também terá que posicionar as antenas corretamente, então é preciso verificar o tamanho das antenas do receptor também.

Características dos receptores

Existem diferentes receptores para um mesmo modelo de rádio transmissor. Alguns deles são criados especificamente para drones. O que você deve procurar são receptores que possuam algum protocolo de comunicação serial com a controladora de voo. O mais comum é o SBUS, mas há outros, como IBUS (FlySky) ou Spektrum. Todos eles permitem que, com apenas 1 fio, todos os canais sejam enviados a controladora de maneira rápida e precisa.

O protocolo PPM também permite a comunicação usando apenas 1 fio, mas ele é analógico (o que remove precisão) e é mais lento (o que adiciona latência aos comandos). Se puder, evite.

Já o PWM é o modelo mais comum em aeromodelos tradicionais. Você liga 1 fio para cada canal que quer comandar. Apesar de a latência não ser um grande problema, ele ainda é mais lento do que os protocolos digitais, porém o principal problema é a enorme quantidade de fios que você terá que ligar à controladora. Algumas controladoras mais modernas nem mesmo suportam mais os receptores PWM. Portanto, evite também.

Outro recurso interessante dos receptores é a telemetria. Nem todos suportam telemetria, mas os que suportam enviam informações ao transmissor, como situação da bateria e qualidade do sinal. Apesar de não ser um recurso mandatório, é bem legal.

Características dos transmissores

Os transmissores também são diferentes entre si e possuem características próprias.

A questão da ergonomia é muito importante. Um transmissor que é grande demais para as suas mãos certamente será um problema para você. O peso, a tensão dos gimbals (alavancas). Tudo isso muda a sua percepção e afeta a qualidade do voo.

Alguns transmissores possuem recursos de telemetria (quando o drone envia informações de volta ao transmissor). Para os minis, apenas duas informações de telemetria são importantes: A situação da bateria e a qualidade do sinal de rádio (RSSI). Você poderá configurar alarmes no transmissor para que ele te avise (aviso sonoro ou vibração) quando a sua bateria estiver perto do fim, ou quando o sinal está fraco demais e próximo de ser perdido.

Recomendações

FlySky i6


O FlySky i6 é um modelo que apresenta ótima relação custo-benefício. Ele possui 4 interruptores (sendo um deles de 3 posições) e dois potenciômetros. É um rádio de 6 canais, mas que é capaz de funcionar com até 10 canais simultaneamente após uma atualização de firmware.

Ele funciona com o protocolo AFHDS 2A, mas é compatível com a versão anterior (AFHDS). Neste novo protocolo, os receptores são capazes de enviar dados de telemetria e também de funcionar com IBUS (protocolo serial da FlySky).

A parte boa: Ele é extremamente barato, e já vem com um receptor FS-IA6B.

Convém também comprar o cabo para fazer atualização de firmware. Para comprar, o link é este.

RadioLink AT9S

O RadioLink também apresenta uma boa relação entre custo benefício. Mais completo, porém mais caro. Ele possui aparência mais profissional (não se parece com um brinquedo). Os Gimbals permitem ajuste mais preciso da tensão. Ele possui mais alavancas e mais opções de programação. A telemetria permite avisos sonoros e ele também tem timer de voo integrado.

Ele é capaz de transmitir até 10 canais. Os receptores não são muito caros, e há diversas opções para todos os tipos de aeromodelos. Ele é compatível com os protocolos DSSS e FHSS. Antena externa e display colorido.

FrSky Taranis X9D Plus

Um dos rádios mais completos que se pode ter atualmente. Apresenta excelente custo benefício se comparado com modelos equivalentes de outras marcas, como Spektrum ou Futaba. Uma das principais vantagens deste modelo é que ele é capaz de receber “módulos”, que expandem a capacidade dele. Sem nenhum módulo, ele transmite nos protocolos ACCST, D8, D16 e LR12. Mas você pode adicionar um módulo Spektrum, por exemplo, e controlar aeromodelos que possuem receptor Spektrum, ou módulo Futaba para controlar receptores Futaba. Há módulos Orange, Assan, FlySky, e diversos outros fabricantes. Com um Taranis, você pode controlar todos.

Ele é capaz de fazer “long range” (voo de longo alcance), é capaz de fazer “log” (armazenar dados de controle em um cartão de memória). Possui inúmeros mixers, alarmes… Enfim, são tantos recursos que até parece “demais” para quem quer voar apenas os mini-drones. A chance deste rádio ficar subutilizado é grande, a não ser obviamente que você pilote também outros tipos de aeromodelos.

Link para comprar o FrSky Taranis X9D Plus
Receptor X4R-SB (mais usado, compatível com SBUS)
Receptor XM+ (super compacto, compatível com SBUS)

Veja também

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *